Testamento vital: verificação e compartilhamento de informações em um hospital português

Autores

Resumo

Desde 2012, o testamento vital é direito legalmente protegido em Portugal. Este estudo, exploratório-descritivo, questionou médicos e enfermeiros de um hospital português sobre a verificação e compartilhamento de informação relativa ao testamento vital. A maioria dos profissionais (57%) nunca verificou a existência do documento, embora considere ato importante (95%), compartilhe essa informação quando tem acesso a ela (82%) e julgue que o não compartilhamento tem implicações importantes na prática de cuidados (86%). Os resultados mostram que verificar a existência de testamento vital não é, no hospital estudado, prática corrente. São necessários novos estudos que identifiquem as motivações subjacentes a esse comportamento e verifiquem se é comum em outras instituições de saúde, propondo medidas para promover prática profissional em consonância com o estabelecido pela lei.

 

Palavras-chave:

Diretivas antecipadas. Assistência centrada no paciente. Ética médica. Ética em enfermagem.

Como Citar

1.
Maciel Ferreira CS, Nunes R. Testamento vital: verificação e compartilhamento de informações em um hospital português. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 19º de dezembro de 2019 [citado 15º de abril de 2024];27(4). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/1842