Práticas educativas sobre violência contra a mulher na formação de universitários

Autores

  • Patrick Leonardo Nogueira da Silva Faculdade de Guanambi (FG).
  • Sibelle Gonçalves de Almeida Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes).
  • Aurelina Gomes e Martins Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes).
  • Mônica Antar Gamba Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
  • Elaine Cristina Santos Alves Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes).
  • Renê Ferreira da Silva Junior Hospital Universitário Clemente de Faria (HUCF).

Resumo

Objetivou-se analisar as práticas educativas sobre violência contra a mulher na formação profissional de estudantes universitários. Trata-se de estudo descritivo, exploratório, com abordagem qualitativa, que incluiu oito
estudantes universitários de uma instituição pública. Utilizou-se entrevista semiestruturada, e os depoimentos foram gravados e transcritos na íntegra. O tratamento dos dados se deu por meio da análise de conteúdo. A
maioria dos acadêmicos afirmou não ter estudado violência nos cursos de graduação. Por permitirem o desenvolvimento de habilidades para lidar com mulheres violentadas, as práticas educativas do projeto de extensão
são significativas para seu aprendizado, contribuindo para a formação acadêmica e profissional, apesar das dificuldades vivenciadas no decorrer dessas atividades. Depreende-se, então, que se deve capacitar acadêmicos
e profissionais de forma multidisciplinar para atuar no atendimento a vítimas de violência na comunidade.

Palavras-chave:

Saúde da mulher. Violência contra a mulher. Educação superior. Educação em saúde. Promoção da saúde.

Como Citar

1.
Silva PLN da, Almeida SG de, Martins AG e, Gamba MA, Alves ECS, Junior RF da S. Práticas educativas sobre violência contra a mulher na formação de universitários. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 20º de julho de 2016 [citado 15º de julho de 2024];24(2). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/1294