Analgesia de animais de laboratório: responsabilidade dos comitês de ética e obrigação dos pesquisadores

Autores

  • Caio Vinicius Botelho Brito Universidade do Estado do Pará - UEPA
  • Rosa Helena de Figueiredo Chaves Soares
  • Nara Macedo Botelho

Resumo

Objetivando avaliar projetos submetidos ao Comitê de Ética no Uso de Animais em relação ao uso de analgesia em cirurgia experimental, este trabalho avaliou 106 projetos, coletando as seguintes informações: metodologia do procedimento cirúrgico, utilização de analgesia, justificativa do não uso de analgésico e aplicação do grau de invasividade. Dos projetos avaliados, 64,2% empregaram técnica cirúrgica. Destes, 65,6% não utilizaram analgesia no pós-operatório, sendo a principal justificativa a de que o analgésico poderia alterar os resultados; em 17%, empregou-se a classificação de grau de invasividade de forma irregular. Assim, o estímulo e a divulgação dos conhecimentos relacionados a analgesia devem partir tanto dos comitês responsáveis quanto do corpo de pesquisadores.

Palavras-chave:

Bioética. Animais de laboratório. Cirurgia experimental.

Biografia do Autor

Caio Vinicius Botelho Brito, Universidade do Estado do Pará - UEPA

Médico formado pelo Centro Universitario do Estado do Pará, Mestrando do Programa de Cirurgia e Pesquisa Experimental da Universidade do Estado do Pará.

Como Citar

1.
Brito CVB, Soares RH de FC, Botelho NM. Analgesia de animais de laboratório: responsabilidade dos comitês de ética e obrigação dos pesquisadores. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 25º de novembro de 2016 [citado 29º de fevereiro de 2024];24(3). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/1162