Percepção, interesse e conhecimento de docentes de fisioterapia sobre a ética na profissão

Átila Barros Magalhães, Monique Natálle Silva Pereira, Bruno Nonato Pedroso Nascimento, Mardson Danilo Sousa de Lima, Rafaela Okano Gimenes, Renato da Costa Teixeira

Resumo


Este estudo objetivou avaliar aspectos relacionados ao interesse, percepção e níveis de conhecimento sobre ética em fisioterapia entre docentes da área de uma universidade pública na Amazônia brasileira. Participaram 18 professores, que responderam às 21 questões distribuídas nos eixos “interesse”, “percepção” e “níveis de conhecimento”. Os dados foram trabalhados em frequência absoluta e relativa. No eixo “interesse”, 77,77% (n = 14) indicaram a Internet como principal fonte de atualização sobre ética em fisioterapia. Em termos de “percepção”, 94,44% (n = 17) consideraram a postura ética dos alunos em suas avaliações. Quanto aos “níveis de conhecimento”, 83,33% (n = 15) erraram ao dizer que a prescrição terapêutica só pode ser instituída depois da consulta. Portanto, é necessário aprofundar o conhecimento e estimular a reflexão ética dos docentes sobre sua postura ética, tendo em vista o próprio crescimento e a formação dos discentes.


Palavras-chave


Ética. Fisioterapia. Docentes.

Texto completo:

PDF PDF (English) PDF (Español)