Bioética na América Latina: desafio ao poder hegemônico

Resumo

Este trabalho propõe a discussão sobre pontos relevantes para a consolidação da bioética nos países em desenvolvimento, considerando, especificamente, as bioéticas latino-americanas. Busca estimular o debate acerca da construção de alternativa aos impasses decorrentes da ampliação do âmbito e foco da disciplina à dimensão social. Para isso, traça de modo sucinto o panorama da bioética nesses países, iniciando pela caracterização desse campo de estudo e sintetizando, em breve histórico, seu processo de construção. Em linhas gerais, descreve as principais conquistas das bioéticas desenvolvidas no contexto brasileiro e latino-americano, enfatizando, especialmente, sua aproximação aos direitos humanos, tomados como marcos regulatórios dos padrões éticos nas relações sociais. Apresenta, ao final, considerações críticas sobre o paradoxo implicado na adoção dos direitos humanos, buscando incentivar a reflexão acerca da bioética como ferramenta de luta contra as desigualdades que ainda marcam nosso continente.

Palavras-chave:

Bioética, Direitos humanos, Sociedades, América Latina, Poder social, Controles informais da sociedade

Como Citar

1.
Bioética na América Latina: desafio ao poder hegemônico. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 6º de agosto de 2014 [citado 22º de fevereiro de 2024];22(2). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/911