Editorial

Resumo

João e Maria moram na periferia de uma grande cidade em um país encravado na periferia dos centros de poder e decisão. O lugar onde moram pode ser identificado como um daqueles ocupados pela emergente classe média, chamada no Brasil de classe “C”, grupo alçado à condição de consumidor pelo impulso promovido pelas políticas sociais de distribuição de renda. Nesse processo de ascensão a área em que moram ganhou um shopping center no qual seus filhos e netos vão “dar um rolezinho” e eles próprios se deleitar (e endividar), se refestelando no mercado – que estimula de forma extravagante seus desejos de consumo. Em quase toda a América Latina, em maior ou menor grau, bens que anteriormente estavam restritos aos mais abastados tornaram-se signos do desejo das classes mais populares. O consumo que era a marca da situação social privilegiada dos primeiros simboliza, agora, a ascensão social da classe “C”. Nesse processo que atrela a identidade ao consumo a marca é mais importante que o próprio produto, pois é ela que confere status e permite identificar pertencimento. 

 

Palavras-chave:

Bioética

Como Citar

1.
Editorial. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 28º de abril de 2014 [citado 28º de fevereiro de 2024];22(1). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/877