Argumentos morais sobre inclusão/exclusão de idosos na atenção à saúde

Resumo

O rápido envelhecimento populacional é a transformação demográfica mais significativa nos países em desenvolvimento. Grande parte dos pacientes internados nos centros hospitalares é de idosos, dispostos a se submeter a tratamento com a condição de retornar, após a alta, a um estado funcional de saúde semelhante ao prévio. Neste contexto, o atendimento às necessidades da população precisa de formação bioética adequada dos recursos humanos na área da saúde, voltada para a geriatria, inclusive no centro de tratamento intensivo (CTI). Mas na decisão da admissão do idoso nesses centros, os aspectos morais acabam sendo, sem justificativa cogente, subsumidos aos aspectos puramente técnicos, o que pode influenciar de maneira discriminatória a decisão, prejudicando, indevidamente, a população idosa. No presente trabalho serão abordados e criticados seis argumentos morais propostos contra a internação hospitalar do paciente geriátrico no CTI, à luz das ferramentas da bioética principialista e da bioética de proteção.

Palavras-chave:

Bioética, Ética, Ética médica, Idoso, Terapia intensiva, Tomada de decisões

Como Citar

1.
Argumentos morais sobre inclusão/exclusão de idosos na atenção à saúde. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 8º de agosto de 2013 [citado 22º de fevereiro de 2024];21(2). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/822