Reflexão sobre quatro versões do Código de Ética do Estudante de Medicina

Resumo

Baseando-se em análise documental, investiga-se como os códigos inserem a ética na graduação em medicina, quanto ao ensino da temática e no cumprimento das prescrições e restrições pertinentes à formação. Foram estudados quatro Códigos de Ética do Estudante de Medicina, espelhados no Código de Ética Médica. Sem referências às Diretrizes Curriculares Nacionais (que destacam a formação reflexiva e a construção ativa do conhecimento), os documentos situam a técnica como centro do desenvolvimento do futuro profissional, reproduzindo limites pouco críticos quanto à tomada de decisões éticas. Como os códigos não trazem avaliações ou sansões relativas ao desrespeito de preceitos éticos pelo estudante, reforçam a ideia de a profissionalização decorrer exclusivamente da técnica, minimizando o aspecto ético intrínseco à prática profissional. A dificuldade da atuação de Conselhos nas academias responsabiliza as instituições a elaborar documentos e instituir fóruns de atuação, no âmbito da educação ética, sob incentivo e assessoria dos Conselhos.

Palavras-chave:

Educação de graduação em medicina. Ética médica. Bioética.

Como Citar

1.
Reflexão sobre quatro versões do Código de Ética do Estudante de Medicina. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 20º de dezembro de 2012 [citado 1º de março de 2024];20(3). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/771