Alteridade da morte na perspectiva de Emmanuel Levinas

Resumo

Abordando o cotidiano afastamento da morte nos hospitais, nos quais deveria se fazer mais presente,

este trabalho discute a morte não como algo indigno que se abate sobre o ser humano, mas como caminho capaz de conferir significado à existência. A análise reflete acerca da alteridade da morte, incitando a pensá-la como coisa natural e indagando qual o motivo de ter se tornado a inimiga das profissões médica e de saúde. A análise baseia-se na teoria de Levinas, sobretudo na ideia de dignidade humana. Conclui que a dignidade não se perderia após a desconstrução do controle ontológico da vida, ou seja, da vida submetida ao controle da racionalidade, do ser humano identificado com a razão; ao contrário, permitiria nova forma de abordá-la e a seu sentido, além da racionalidade instrumental, o que pode abrir espaço para uma perspectiva mais humana do fenômeno da morte.

Palavras-chave:

Medicina. Morte. Filosofia.

Como Citar

1.
Alteridade da morte na perspectiva de Emmanuel Levinas. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 20º de dezembro de 2012 [citado 1º de março de 2024];20(3). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/764