Pesquisa médica em seres humanos, não maleficência e autoexperimentação homeopática

Resumo

Este artigo, de natureza conceitual, objetiva estabelecer conexão entre a pesquisa médica em seres humanos, a não maleficência e a autoexperimentação homeopática. A pesquisa médica em seres humanos, geralmente realizada no outro, tem sido permeada de expressivos abusos em relação aos sujeitos participantes. É neste contexto que emerge a não maleficência, princípio ético básico limitante destas violações. A não maleficência é o pressuposto que deve nortear as decisões no campo da pesquisa médica, representando sua inocuidade ou moderação. No que tange ao sujeito que experimenta, a investigação no ser humano pode ser conduzida, também, como autoexperimentação, ou seja, como experimentação realizada em si mesmo. A autoexperimentação, de grande valor em diferentes áreas da medicina, é denominada, na homeopatia, de autoexperimentação homeopática. A autoexperimentação homeopática é dotada de importantes características não maleficentes, o que a torna prática ética segura, viável, reproduzível e consistente da pesquisa médica terapêutica em seres humanos.

Palavras-chave:

Ética. Pesquisa médica. Não maleficência. Autoexperimentação homeopática.

Como Citar

1.
Pesquisa médica em seres humanos, não maleficência e autoexperimentação homeopática. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 24º de maio de 2012 [citado 1º de março de 2024];20(1). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/715