A mortalidade materna: a persistente violação do direito de proteção da vida e autonomia feminina

Autores

  • Miriam Ventura

Resumo

O objetivo desse artigo é apontar os principais aspectos de saúde, bioéticos e jurídicos que envolvem a mortalidade materna e os limites e possibilidades de uma intervenção ética e jurídica para redução dessas mortes.

Palavras-chave:

Mortalidade materna, Direitos e saúde reprodutiva feminina, Bioética

Biografia do Autor

Miriam Ventura

Especialista em Bioética pelo Instituto Fernandes Filgueiras/Fiocruz, mestre e doutoranda em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública/Fiocruz,
advogada e consultora jurídica, professora de direito civil, integrante do Comitê de Bioética do Instituto Nacional do Câncer – INCA/Ministério da Saúde, e da Comissão de Direitos Humanos da
Ordem dos Advogados do Brasil – OAB/RJ

Publicado:

2009-07-06

Downloads

Como Citar

1.
Ventura M. A mortalidade materna: a persistente violação do direito de proteção da vida e autonomia feminina. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 6º de julho de 2009 [citado 15º de abril de 2024];16(2). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/69