A filosofia da medicina de Edmund Pellegrino e os dilemas bioéticos relacionados ao suicídio assistido

Resumo

Apesar da crescente ênfase dada à autonomia no processo de tomada de decisões, a mera decisão autônoma nem sempre reflete o bem do paciente. Este artigo sustentará, a partir da filosofia da medicina de Edmund Pellegrino, que o bem do paciente é composto por quatro elementos, um delimitando o outro, com vistas a assegurar maior equilíbrio entre o bem como avaliado pelo médico e o bem como compreendido pelo paciente. A abordagem teleológica da medicina, ou seja, uma abordagem baseada no telos (fim) da medicina, delineia até que ponto as decisões do paciente são condizentes com o seu bem. Segue-se que os pedidos de pacientes por procedimentos como o suicídio assistido não estão acordes com esse fim, e que caberia aos profissionais de saúde fornecer alternativas para prevenir e aliviar o sofrimento dos pacientes, no que se insere a temática dos cuidados paliativos.

Palavras-chave:

Ética, Temas bioéticos, Bioética, Suicídio assistido, Cuidado paliativo

Como Citar

1.
A filosofia da medicina de Edmund Pellegrino e os dilemas bioéticos relacionados ao suicídio assistido. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 9º de abril de 2013 [citado 19º de junho de 2024];21(1). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/684