Prontuários médicos: reflexo das relações médico-paciente

Autores

  • Adriano Cavalcante Sampaio
  • Maria Rejane Ferreira da Silva

Resumo

O artigo apresenta discussão sobre a relação médico-paciente, utilizando para tanto o prontuário, tomado como instrumento do trabalho médico capaz de mensurar a qualidade da relação profissional. Por ser documento que cadastra informações a respeito da assistência, pesquisa e ensino, é elemento de comunicação entre os setores dos serviços, a instituição e os pacientes. Pautado em pesquisa em cinco hospitais em Recife/PE, que evidencia a existência de prontuários com baixa qualidade de preenchimento, o estudo aponta como possível causa a manutenção de posturas individuais e organizacionais que estabelecem distorções no preenchimento. Baseando-se na hipótese de que tais situações podem estar refletindo uma relação de autonomia excludente, bem como fragilidade ética na relação médico-paciente, este artigo discute à luz das teorias contemporâneas os possíveis fatores intervenientes nessas relações e conclui apontando a importância de pesquisas e novos estudos que desvendem as repercussões no preenchimento dos dados contidos nos prontuários médicos.

Palavras-chave:

Ética médica. Registros médicos. Relações médico-paciente. Autonomia profissional.

Como Citar

1.
Sampaio AC, Silva MRF da. Prontuários médicos: reflexo das relações médico-paciente. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 12º de novembro de 2010 [citado 19º de abril de 2024];18(2). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/576