Bioeticistas e a priorização de recursos de saúde no sistema público de saúde brasileiro

Autores

  • Paulo Antonio de Carvalho Fortes

Resumo

Estudo exploratório qualitativo objetivou conhecer e analisar critérios levantados por bioeticistas sobre o estabelecimento de prioridades para o sistema de saúde brasileiro em face da escassez de recursos. Os dados foram obtidos no período de julho de 2007 a fevereiro de 2009 mediante entrevistas semiestruturadas com 21 professores universitários de bioética, diretores e ex-diretores da Sociedade Brasileira de Bioética (SBB) e de suas diretorias regionais. A maior parte
dos discursos apontou a validade de se limitar recursos em situação de escassez e contrariedade à utilização dos recursos voltados para ações que se enquadram na denominação de medicina de desejo. Também demonstram posicionamentos, ora orientados pela equidade, priorizando os mais desfavorecidos, ora orientados pela maximização dos benefícios. Conclui-se nesta análise parcial pela existência de um pluralismo moral que traz dificuldades para decidir-se sobre o que seria um sistema de saúde justo, do que se pode depreender ser necessário exaustivo diálogo
para se chegar aos consensos possíveis.

Palavras-chave:

Políticas de saúde. Bioética. Sistema de saúde.

Biografia do Autor

Paulo Antonio de Carvalho Fortes

Médico, mestre em Pediatria pela Universidade de São Paulo (USP), especialista em Droit de la Santé pela Universidade de Bordeaux I, França, doutor livre docente em Saúde Pública pela USP. Atualmente, é professor titular da Faculdade de Saúde Pública da USP e pesquisador CNPq 1B. Integrou a Câmara Técnica de Bioética do Cremesp (2000 e 2008). Foi presidente da Sociedade de Bioética de São Paulo (2005-2008) e atualmente é presidente da Sociedade Brasileira de Bioética (SBB), gestão 2009-2011, além de membro do Conselho Diretor da Redbioética/América Latina e Caribe da Unesco.

Como Citar

1.
Fortes PA de C. Bioeticistas e a priorização de recursos de saúde no sistema público de saúde brasileiro. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 12º de novembro de 2010 [citado 25º de maio de 2024];18(2). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/573