Contracepção de emergência e adolescência: responsabilidade e ética

Autores

  • Clóvis Francisco Constantino Conselho Federal de Medicina

Resumo

Este trabalho discute aspectos peculiares da assistência médica aos adolescentes, ponderando sua particular vulnerabilidade no meio social em que vivem e tendo em mente que, por meio de sua progressiva maturidade, tendem a exercitar sua autonomia numa sucessão de
ações próprias que inclui o aflorar da sexualidade. Com esse entendimento, é formulada a reflexão sobre aspectos éticos da contracepção de emergência, considerando aspectos
epidemiológicos de gravidez precoce e não planejada à luz de princípios clássicos da bioética, incluindo a disponibilização de tal recurso pelo poder público.

Palavras-chave:

Anticoncepção. Planejamento familiar. Gravidez na adolescência. Adolescente. Bioética.

Biografia do Autor

Clóvis Francisco Constantino, Conselho Federal de Medicina

Pediatra, presidente do Departamento de Bioética da Sociedade Brasileira de Pediatria, presidente da Sociedade de Pediatria de São Paulo (1998-2000), presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (2003-2004), consultor de Bioética e membro do Centro de Estudos do Conjunto Hospitalar do Mandaqui/SP.

Como Citar

1.
Constantino CF. Contracepção de emergência e adolescência: responsabilidade e ética. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 12º de novembro de 2010 [citado 25º de maio de 2024];18(2). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/568