As mulheres brasileiras e o aborto: uma abordagem bioética na saúde pública

Autores

  • Stella de Faro Sandi
  • Marlene Braz

Resumo

O objetivo deste trabalho é refletir criticamente sobre a criminalização do aborto no Brasil. Utilizou-se uma abordagem metodológica orientada pelo trabalho de revisão bibliográfica a partir de análise bioética que contemplou a análise do tema proposto. Verificou-se que a gestação indesejada, a violência doméstica e a dificuldade de acesso ao sistema de saúde são fatores que expõem a mulher ao dano acessório. Concluiu-se que biopolítica embasada no
patriarcalismo e no princípio da sacralidade da vida continua a exercer o controle sobre o corpo e a sexualidade da mulher, e se relaciona à proibição da indução do aborto, o que constitui um problema de saúde pública. Este trabalho, a partir do uso das ferramentas da bioética, volta-se a promover o desenvolvimento das relações humanas dentro dos conceitos de justiça, dignidade e igualdade, pelo uso da dialética entre os argumentos contra e a favor do aborto.

Palavras-chave:

Aspirantes a aborto. Saúde da mulher. Bioética. Saúde pública.

Biografia do Autor

Stella de Faro Sandi

Médica ginecologista e obstetra pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Como Citar

1.
Sandi S de F, Braz M. As mulheres brasileiras e o aborto: uma abordagem bioética na saúde pública. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 11º de junho de 2010 [citado 14º de abril de 2024];18(1). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/541