Cesariana: uma visão bioética

Autores

  • Luiza Gonçalves Barcellos
  • André Oliveira Rezende de Souza
  • César Augusto Frantz Machado

Resumo

A presente pesquisa bibliográfica discute, à luz da bioética, a autonomia de escolha da forma de parto da gestante. Analisa a prática paternalista de o médico assumir, sozinho, a definição da via de parto, procedimento que não promove a autonomia da gestante nem seu direito de escolha. Enumera fatores interferentes sobre o profissional médico e a gestante na escolha da forma de parto. Discute a vulnerabilidade da paciente frente à decisão médica e
propõe uma possível alternativa para que a autonomia da mulher seja respeitada, permitindo sua participação no processo decisório da forma de parto. Conclui apontando a necessidade de intervenção governamental voltada à promoção de condições que diminuam a vulnerabilidade
da gestante, embasada em políticas de saúde pública de incentivo ao parto normal, sempre respeitando a escolha autônoma da via de parto pela parturiente.

Palavras-chave:

Bioética, Parto normal, Autonomia pessoal, Cesárea, Gestantes

Biografia do Autor

Luiza Gonçalves Barcellos

Farmacêutica, especialista em Bioética, assessora técnica da Secretaria de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde, Brasília, Brasil.

André Oliveira Rezende de Souza

Farmacêutico, especialista em Bioética e em Regulação e Vigilância Sanitária, técnico da Gerência Geral de Tecnologia em Serviços de Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Brasília, Brasil

César Augusto Frantz Machado

 
Bacharel em Direito, especialista em Bioética, consultor da Secretaria Executiva do Ministério da Saúde, Brasília, Brasil

Publicado:

2010-03-01

Downloads

Como Citar

1.
Barcellos LG, Souza AOR de, Machado CAF. Cesariana: uma visão bioética. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 1º de março de 2010 [citado 19º de junho de 2024];17(3). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/513