Morte, diagnóstico e evento

Autores

Resumo

Vida e morte são compreendidas de maneiras distintas em diferentes culturas, religiões e sociedades, portanto padronizar o entendimento dos significados desses termos em sociedades multiculturais torna-se desafiador e complexo. Diante dessa realidade, esta pesquisa busca descobrir como a morte foi compreendida na história e quais valores eram associados a ela. Para isso, realizou-se revisão da literatura analítico-narrativa, com seleção de 69 publicações para leitura na íntegra. A sociedade e a medicina adquiriram uma visão dualista que considera a morte da função cerebral como irreversibilidade de existência de um eu psicológico. Diante da possibilidade de coletar órgãos e tecidos a partir de um corpo mantido vivo e operado, o suporte de vida deve sempre visar o benefício, mas sem causar danos a terceiros. Para que esses avanços sejam possíveis, a legislação deve ser clara e atualizada.

Palavras-chave:

Morte. Morte encefálica. Doação de órgãos e tecidos. Bioética.

Como Citar

1.
Antonucci AT, Candido IP de S, Neto AR, Schiavini M, Lehmann MF, Sganzerla A, et al. Morte, diagnóstico e evento. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 8º de agosto de 2023 [citado 19º de abril de 2024];31(1). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/3356