Perfil clínico-epidemiológico de crianças em cuidados paliativos de um hospital

Autores

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar o perfil clínico-epidemiológico de crianças acompanhadas por um serviço de cuidados paliativos em um hospital pediátrico de referência no Ceará. Trata-se de estudo de coorte retrospectivo, quantitativo, do tipo série de casos, realizado com 56 pacientes de até 2 anos, 11 meses e 29 dias de idade. As doenças mais comuns foram as do sistema nervoso, circulatório, malformações congênitas, deformidades e anomalias cromossômicas. As condições incapacitantes graves e não progressivas foram o principal critério para inclusão na paliação. Na conferência familiar, a mãe esteve presente em
94,6% das ocasiões. O desfecho predominante foi óbito (58,9%), apresentando associação significativa com as doenças do aparelho circulatório, sistema nervoso, uso de dispositivo respiratório e ventilação mecânica, setor solicitante e cuidados paliativos. Conclui-se que os cuidados paliativos pediátricos não relacionados a crianças com câncer têm gerado uma nova demanda a nível hospitalar, exigindo uma equipe capacitada e sensível a essa nova realidade.

Palavras-chave:

Cuidados paliativos. Pediatria. Perfil de saúde. Epidemiologia. Enfermagem.

Como Citar

1.
dos Santos IB, Rocha Sales JM, Alencar VO, Cardoso do Nascimento IR, Ferreira Gomes de Andrade CA, Neves CC, et al. Perfil clínico-epidemiológico de crianças em cuidados paliativos de um hospital. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 25º de maio de 2023 [citado 19º de abril de 2024];31(1). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/3293