Quando um Tratamento Torna-se Fútil?

Autores

  • Joaquim Antônio César Mota

Resumo

A definição de uma ação médica como fútil é necessária para uma adequada atenção a um paciente criticamente enfermo. A partir dos anos 70, com a crescente incorporação tecnológica, houve o deslocamento da medicina de ponta da esfera pública para o setor privado, levantando a discussão sobre qualidade de vida. Nesse contexto, tal definição torna-se essencial. Para atender a pacientes criticamente enfermos é necessário um treinamento intensivo e extensivo de técnicas de preservação e/ou restauração das funções vitais do mesmo, e também refletir sobre como usar essas técnicas, através do diálogo com todos os envolvidos no processo. O desafio ético na abordagem de um paciente criticamente enfermo é saber quando e o quanto agir, utilizando-se o melhor possível para atender a seus interesses, sem transpor a linha da futilidade.

Palavras-chave:

Futilidade, tecnologia médica, incorporação tecnológica e ética, paciente criticamente enfermo

Publicado:

2009-11-03

Downloads

Como Citar

1.
Mota JAC. Quando um Tratamento Torna-se Fútil?. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 3º de novembro de 2009 [citado 20º de abril de 2024];7(1). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/291