Reflexões Bioéticas Sobre Ciência, Saúde e Cidadania

Autores

  • Volnei Garrafa

Resumo

Considerando a dinâmica observada pela conceitualização da bioética desde seu nascimento, o autor propõe classificá-la em duas vertentes: bioética das situações persistentes e bioética das
situações emergentes. A partir deste referencial teórico, introduz e discute as seguintes questões:
1. A ética da responsabilidade - científica e social -, que inclui a questão da radicalidade ética,
recordando que o problema central da bioética não é o do "limite ético", mas aquele das razões
que justificam um dado juízo moral; 2. Os limites da manipulação da vida, compreendendo estes
"limites" de forma conceitual como "estimular o desenvolvimento da ciência dentro das fronteiras
humanas" e desestimulá-la quando esta passa a avançar na direção de limites desumanos";
3. Pluralidade, tolerância, responsabilidade e justiça, entendendo que a partir do acelerado
desenvolvimento da ciência a questão dos "limites" não pode mais ser vista sob o ângulo
exclusivamente biotecnocientífico, mas a partir da sua fundamentação ética; a barreira
técnica e científica está praticamente superada: o limite, hoje, deve ser estabelecido pela ética:
o "fazer tudo o que PODE ser feito" é substituído pelo "fazer tudo aquilo que DEVA ser feito".
Finalizando, enfatiza o desafio, para a bioética contemporânea, de equilibrar a
"linguagem dos princípios" com a "linguagem das virtudes".

Palavras-chave:

Ética da responsabilidade, situações "persistentes" e "emergentes", "limites" da ciência, pluralidade, tolerância, cidadania

Biografia do Autor

Volnei Garrafa

Professor titular do Departamento
de Saúde Coletiva e coordenador
da Cátedra Unesco de Bioética da
Universidade de Brasília, presidente do Conselho Diretor da Rede Latino-Americana e do Caribe de Bioética da Unesco (Redbioética) e editor da Revista
Brasileira de Bioética

Publicado:

2009-11-03

Downloads

Como Citar

1.
Garrafa V. Reflexões Bioéticas Sobre Ciência, Saúde e Cidadania. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 3º de novembro de 2009 [citado 14º de abril de 2024];7(1). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/287