Nutrição enteral em idosos com demência em cuidados paliativos

Autores

  • Paula Abrantes Cicarelli Universidade Federal de São Paulo
  • Emanuela Bezerra Torres Mattos Universidade Federal de São Paulo

Resumo

O número de idosos e, consequentemente, a incidência de doenças crônicas não transmissíveis, entre elas a demência, têm aumentado exponencialmente. A demência leva a perda progressiva de funcionalidade, incluindo complicações relacionadas com alimentação. Este artigo traz resultados de revisão integrativa sobre as evidências científicas atuais da terapia nutricional enteral em pacientes com demência em cuidados paliativos. Foram incluídos artigos publicados entre 2009 e 2019. Os dados foram coletados em novembro de 2019, em cinco indexadores, a partir de busca pelos descritores “nutrição enteral”, “cuidados paliativos” e “demência”. Depois de aplicados os critérios de inclusão, 11 artigos compuseram a amostra. Os principais achados dessas publicações foram divididos em três categorias: “cuidados paliativos e plano de cuidados”, “cuidados paliativos e nutrição enteral” e “nutrição enteral em idosos com demência”. Os resultados chamam atenção para a necessidade de que a tomada de decisão se baseie em evidências científicas. 

Palavras-chave:

Demência. Cuidados paliativos. Nutrição enteral.

Biografia do Autor

Paula Abrantes Cicarelli, Universidade Federal de São Paulo

Graduação em Nutrição pela Escola de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP)

Aprimoramento pelo Instituto Central da USP

Especialização em Saúde do Idoso pela Universidade Federal de Saõ Paulo

Emanuela Bezerra Torres Mattos, Universidade Federal de São Paulo

Prof Dra Curso de Terapia Ocupacional

Departamento Saúde Educação Sociedade

Instituto Saúde e Sociedade

Coodenadora do Observatório de Envelhecimento e do Serviço de Atendimento ao Envelhecimento Cognitivo (SAEC)

Como Citar

1.
Cicarelli PA, Mattos EBT. Nutrição enteral em idosos com demência em cuidados paliativos. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 21º de junho de 2021 [citado 22º de junho de 2024];29(2). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/2867