Justiça, cuidado e reconhecimento: trama moral do vínculo terapêutico

Autores

Resumo

O objetivo deste ensaio, dividido em duas partes, é investigar a estrutura geral do vínculo terapêutico. A primeira parte descreve agentes sociais como sujeitos moralmente interpelados pela norma fundamental da justiça (“a cada qual o que lhe é devido”), que na cena particular do cuidado se desdobra em potenciais conflitos intersubjetivos. A segunda representa a relação terapêutica articulada com os “três níveis do juízo médico” apontados por Paul Ricoeur – prudencial, deontológico e reflexivo –, conferindo às prescrições desse âmbito o estatuto de relação francamente moral. 

Palavras-chave:

Ética médica. Status moral. Justiça social. Relações médico-paciente.

Biografia do Autor

Pablo Dias Fortes, Escola Nacional de Saúde Pública/Fiocruz

Graduado em Filosofia (UFRJ), Mestre em Educação (UFRJ) e Doutor em Bioética, Ética Aplicada e Saúde Coletiva/PPGBios (UFRJ/UERJ/UFF/FIOCRUZ). Desde 2006 integra o corpo de servidores da carreira de desenvolvimento tecnológico da FIOCRUZ, realizando atualmente atividades de investigação e ensino no âmbito do Centro de Referência Professor Hélio Fraga (ENSP/FIOCRUZ), com foco em estudos sobre ética, justiça e cidadania em saúde. É membro do GT de Bioética da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO).

Sergio Rego, Escola Nacional de Saúde Pública/Fiocruz

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (1982), mestrado (1994) e doutorado em Saúde Coletiva pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2001). É pesquisador titular da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca da Fundação Oswaldo Cruz e é o coordenador do Programa de Pós-graduação em Bioética, Ética Aplicada e Saúde Coletiva na Fiocruz. Foi editor da Revista Brasileira de Educação Médica. Foi membro da comissão de Bioética do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro, foi presidente da Sociedade de Bioética do Estado do Rio de Janeiro - regional da SBB de 2011 a 2014. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Bioética, atuando principalmente nos seguintes temas:bioética, bioética clínica, bioética em pesquisa, educação moral, ensino de bioética, educação médica, profissão médica e educação e desenvolvimento moral. Foi o coordenador geral do Programa de Pós-graduação por associação da Fiocruz, UFRJ, UERJ e UFF em Bioética, ética aplicada e saúde coletiva de agosto de 2013 até março de 2017. Foi o primeiro Coordenador do Fórum de Ética em Pesquisa da Fiocruz e foi o primeiro Coordenador do Comitê de Integridade em Pesquisa da Fiocruz. Foi membro ad hoc da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep). Foi membro colaborador da Comissão de Bioética e Biodireito da OAB-RJ. Coordenador do GT de Bioética da Abrasco. Atua como consultor para: CNPq, Capes, Faperj, Fapemig, Fapepe. Foi membro do GT da Conep que propôs uma regulamentação específica sobre ética em pesquisa em ciências humanas e sociais.

Como Citar

1.
Fortes PD, Rego S. Justiça, cuidado e reconhecimento: trama moral do vínculo terapêutico. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 21º de setembro de 2020 [citado 21º de julho de 2024];28(3). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/2321