Infância e práticas alimentares: estudo bioético sobre vulnerabilidade e risco

Autores

Resumo

Trata-se de estudo de campo, qualitativo, exploratório e transversal, desenvolvido com pais de alunos de duas escolas de cidades do interior de Minas Gerais, totalizando 27 participantes. Foi realizada oficina em que os entrevistados responderam questionários e assistiram a palestra informativa. Buscou-se evidenciar os efeitos da persuasão da indústria alimentícia sobre a dieta das crianças, visto que o Brasil vem enfrentando aumento expressivo de sobrepeso, obesidade e doenças crônicas não transmissíveis também na infância. Ficou claro que a publicidade se aproveita da vulnerabilidade e falta de conhecimento de pais e responsáveis para influenciar suas escolhas. Para enfrentar esse problema, o artigo demonstra a necessidade de proteger a população por meio de educação nutricional, leis e regulamentação.

Palavras-chave:

Criança. Indústria alimentícia. Vulnerabilidade em saúde. Bioética.

Biografia do Autor

Camila Blanco Guimarães, Universidade do Vale do Sapucaí

Nutricionista especialista em nutrição pediátrica e escolara, mestranda do programa de pós graduação em Bioética da universidade do Vale do Sapucaí.

Como Citar

1.
Guimarães CB, Pereira CCQ. Infância e práticas alimentares: estudo bioético sobre vulnerabilidade e risco. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 18º de junho de 2020 [citado 22º de junho de 2024];28(2). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/2235