Comunicação de más notícias a pacientes na perspectiva de estudantes de medicina

Autores

Resumo

O objetivo deste estudo foi verificar se estudantes de medicina adquiriram conhecimento sobre comunicação de más notícias aos pacientes durante a graduação. Aplicou-se questionário para dois grupos: Grupo 1, que não havia cursado disciplinas sobre o tema, e Grupo 2, que já as havia cursado. Conheciam o protocolo Spikes 29,41% do Grupo 1 e 100% do Grupo 2 (p=0,0001). Consideraram-se parcialmente preparados para a comunicação 25,88% do Grupo 1 e 81,01% do Grupo 2 (p=0,0001). Sentiam-se mais seguros após o estudo 17,65% do Grupo 1 e 83,54% do Grupo 2 (p=0,0001). Atribuíram nota máxima à importância do aprendizado 90,59% do Grupo 1 e 87,34% do Grupo 2 (p=0,8166). Concluiu-se que todos reconheciam a relevância do ensino sobre comunicação de más notícias. Além disso, a ampla diferença de conhecimento do Grupo 2 destaca a eficácia da abordagem ao tema na graduação.

 

Palavras-chave:

Comunicação em saúde. Revelação da verdade. Relações médico-paciente. Aprendizagem. Bioética.

Biografia do Autor

Miguel Henrique Freiberger, Universidade do Oeste de Santa Catrina - UNOESC

Mestrado em Biociências e Saúde.

Diego de Carvalho, Universidade do Oeste de Santa Catrina - UNOESC

Mestrado em Biociências e Saúde.

Elcio Luiz Bonamigo, Unoesc - Universidade do Oeste de Santa Catarina

Médico oftalmologista em Joaçaba, professor de Bioética e Oftalmologia da UNOESC - Universidade do Oeste de Santa Catarina,  doutor em Bioética.

Como Citar

1.
Freiberger MH, Carvalho D de, Bonamigo EL. Comunicação de más notícias a pacientes na perspectiva de estudantes de medicina. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 19º de junho de 2019 [citado 29º de fevereiro de 2024];27(2). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/1912