Planejamento para famílias homoafetivas: releitura da saúde pública brasileira

Autores

  • José Lenartte da Silva Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairí - Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Moan Jéfter Fernandes Costa Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairí - Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Rafaela Carolini de Oliveira Távora Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairí - Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Cecília Nogueira Valença Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairí - Universidade Federal do Rio Grande do Norte http://orcid.org/0000-0003-3998-3983

Resumo

Resumo


Ao longo das últimas décadas, o conceito de família passou por muitas mudanças, divorciando-se do modelo nuclear tradicional. Embora a Constituição Federal tenha avançado quanto ao reconhecimento de novos núcleos familiares, ainda se omite na união homoafetiva, privando-a em termos de garantias e direitos. O objetivo deste artigo foi apontar a inexistência de preparação de estudantes e profissionais para lidar com casais homoafetivos e suas famílias. Trata-se de revisão narrativa respaldada por obras doutrinárias, legislação nacional pertinente, jurisprudência e documentos eletrônicos, como leis e normativas, que serviram de base para a elaboração do artigo científico. Com os avanços da sociedade e algumas recentes resoluções, hoje a união homoafetiva pode gozar de direitos semelhantes aos de casais heterossexuais quanto à reprodução medicamente assistida.

Palavras-chave:

Homossexualidade. Planejamento familiar. Relações familiares.

Biografia do Autor

José Lenartte da Silva, Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairí - Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairí - Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Moan Jéfter Fernandes Costa, Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairí - Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairí - Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Rafaela Carolini de Oliveira Távora, Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairí - Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairí - Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Cecília Nogueira Valença, Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairí - Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairí - Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Como Citar

1.
da Silva JL, Fernandes Costa MJ, de Oliveira Távora RC, Valença CN. Planejamento para famílias homoafetivas: releitura da saúde pública brasileira. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 19º de junho de 2019 [citado 28º de fevereiro de 2024];27(2). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/1905