Comunicação de más notícias em cuidados paliativos na oncopediatria

Autores

Resumo

Este estudo objetiva compreender o processo de comunicação de más notícias vivenciado por familiares de pacientes em cuidados paliativos exclusivos do centro de referência oncopediátrico de Fortaleza, Ceará, Brasil. Trata-se de estudo qualitativo descritivo baseado em entrevistas estruturadas com familiares de crianças e adolescentes em cuidados paliativos e norteado pela análise de conteúdo temático e categorial. Observou-se que na visão dos familiares a comunicação provoca reações ambivalentes, envolvendo a necessidade de saber e o sofrimento causado pela possibilidade de morte do filho. Fatores humanizantes, como postura empática, acolhimento e afetos positivos relacionados à vivência de sofrimento do outro, repercutem na boa relação entre profissional e familiar. Conclui-se que a comunicação em cuidados paliativos é imprescindível no cotidiano da oncologia pediátrica e provoca sofrimentos que demandam assistência em saúde mental. Assim, a prática profissional necessita de constante aprimoramento de modo a qualificar os serviços.

 

Palavras-chave:

Comunicação em saúde. Revelação da verdade. Oncologia. Criança.

Biografia do Autor

Keyssiane Maria de Alencar Lima, CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE QUIXADÁ

Espscialista em psicopedagogia clínica e institucional;Psicóloga residente em cancerologia;Graduada em psicologia,com estudos na área de psicanálise e sáude,com ênfase e interesse  pela psiconcologia,tanatologia e bioética.

Como Citar

1.
de Alencar Lima KM, Nunes Maia AH, do Nascimento IRC. Comunicação de más notícias em cuidados paliativos na oncopediatria. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 19º de dezembro de 2019 [citado 3º de março de 2024];27(4). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/1839