Dificuldades éticas na realização da Pesquisa Nacional de Saúde Bucal

Autores

  • Flávia Reis de Andrade Faculdade de Ceilândia da Universidade de Brasília
  • Paulo Capel Narvai Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
  • Miguel Ângelo Montagner Faculdade de Ceilândia da Universidade de Brasília

Resumo

Objetivou-se neste estudo identificar e analisar as dificuldades éticas na realização da Pesquisa Nacional de Saúde Bucal de 2010. Trata-se de estudo qualitativo, no qual foram entrevistados 12 membros do grupo gestor e do Comitê Técnico Assessor do Ministério da Saúde, além de dois coordenadores, um estadual e outro municipal. Utilizou-se a técnica do discurso do sujeito coletivo na sistematização dos depoimentos. Foram identificadas seis dificuldades centrais, entre as quais: convencer o gestor municipal a liberar o profissional para fazer a pesquisa; e dialogar nos locais em que as gestões do município e do estado são de partidos políticos diferentes. As recusas em participar da pesquisa nacional foram principalmente de cirurgiões-dentistas e gestores municipais de saúde. Em ambos os casos, constata-se grave violação da ética da responsabilidade individual e pública.

Palavras-chave:

Inquéritos epidemiológicos. Ética. Gestor de saúde. Autonomia profissional. Saúde Bucal.

Como Citar

1.
Reis de Andrade F, Capel Narvai P, Ângelo Montagner M. Dificuldades éticas na realização da Pesquisa Nacional de Saúde Bucal. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 19º de dezembro de 2018 [citado 19º de junho de 2024];26(4). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/1683