Informação médica e consentimento de pessoas com câncer

Autores

  • Filipa Daniela Bastos Sickmueller Nunes Uniklinikum Frankfurt am Main, Frankfurt am Main, Hessen, Alemanha
  • Assunção das Dores Laranjeira de Almeida Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro

Resumo

A forma como pessoas com câncer acedem à informação de saúde e o impacto deste conhecimento na tomada de decisão constituem questão de interesse fulcral para este grupo. Esta pesquisa objetiva promover reflexão crítica sobre valores de natureza pessoal, profissional e da sociedade em geral; identificar princípios éticos subjacentes à tomada de decisão; analisar a relação profissional-pessoa doente; caracterizar a tomada de decisão; e quantificar a informação fornecida aos usuários. Trata-se de estudo quantitativo e exploratório, realizado mediante aplicação de questionário Easy-Care e QLQ – INFO25 em amostra de 20 pessoas com câncer. Verificou-se déficits na informação adequada às necessidades das pessoas com câncer nas áreas da autogestão da doença, do uso de determinados serviços (fisioterapia, psicologia) e da influência da doença/ tratamento nos ambientes social e familiar.

Palavras-chave:

Informação. Comunicação em saúde. Autonomia pessoal. Consentimento livre e esclarecido. Tomada de decisões. Neoplasias.

Biografia do Autor

Filipa Daniela Bastos Sickmueller Nunes, Uniklinikum Frankfurt am Main, Frankfurt am Main, Hessen, Alemanha

Mestre em Cuidados Paliativos pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto

Enfermeira em Oncologia do Uniklinikum Frankfurt am Main, Frankfurt am Main, Hessen, Alemanha

Assunção das Dores Laranjeira de Almeida, Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro

Professora Adjunta da Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro

Como Citar

1.
Sickmueller Nunes FDB, Laranjeira de Almeida A das D. Informação médica e consentimento de pessoas com câncer. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 20º de março de 2018 [citado 18º de abril de 2024];26(1). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/1547