A interpretação estatística como produção de verdades: reflexões éticas

Autores

Resumo

Este ensaio lança um olhar crítico sobre as consequências, na prática do profissional de saúde, da produção de verdades científicas com base em modelos estatísticos. A estatística nos oferece visão probabilística de eventos naturais observados sistematicamente, e vários são os limites intrínsecos a seus métodos. Mas, no senso comum do meio científico, criou-se o imaginário da estatística como meio para obter verdades a respeito de sistemas complexos, da mesma forma que cientistas postulam princípios para a órbita dos planetas. Nesse contexto, as expectativas de sucesso ou fracasso em intervenções e a avaliação dos riscos e benefícios da aplicação de resultados experimentais podem ser perigosamente comprometidas no dia a dia da prática biomédica.

Palavras-chave:

Interpretação estatística de dados. Gestão de riscos. Esperança. Cultura.

Biografia do Autor

Dimitri Marques Abramov, FIOCRUZ

Laboratório de Neurobiologia e Neurofisiologia Clínica, Instituto Nacional da Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, Brasil.

Como Citar

1.
Abramov DM, Mourão Junior CA. A interpretação estatística como produção de verdades: reflexões éticas. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 19º de dezembro de 2018 [citado 15º de junho de 2024];26(4). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/1544