O poder na relação enfermeiro-paciente: revisão integrativa

Autores

  • Marina Kelly Santos Baptista Universidade federal de Alagoas http://orcid.org/0000-0002-8747-9696
  • Regina Maria dos Santos Universidade Federal de Alagoas
  • Laís de Miranda Crispim Costa Universidade Federal de Alagoas
  • Amanda Cavalcante de Macêdo Centro Universitário CESMAC
  • Rafaela Lira Mendes Costa Universidade Federal de Alagoas - Campus Arapiraca

Resumo

Visando descrever e analisar a produção de conhecimento acerca do poder nas relações de cuidado de enfermagem a pacientes internados, realizou-se busca em sete das principais bases de dados eletrônicas em saúde para embasar revisão integrativa de literatura. Conforme os critérios estabelecidos, 10 artigos publicados desde 2000 até setembro de 2015 foram selecionados. A análise mostrou que o conhecimento científico e as normas e rotinas hospitalares são instrumentos de exercício de poder que podem violar a identidade da pessoa ao transformá-la em paciente. Entretanto, alguns estudos revelaram que profissionais de enfermagem nem sempre se dão conta de que exercem poder sobre pacientes, argumentando que agem conforme as necessidades de cuidado diagnosticadas, prescrevendo intervenções que, embora resolutivas, nem sempre são pactuadas com os enfermos. Em suma, esses profissionais precisam refletir sobre seus processos de trabalho, concentrando-se no cuidado e na autonomia do paciente.

Palavras-chave:

Enfermagem. Poder (psicologia). Pacientes internados. Ética.

Biografia do Autor

Marina Kelly Santos Baptista, Universidade federal de Alagoas

Mestre em Enfermagem pela Escola de Enfermagem e Farmácia da Universidade Federal de Alagoas. Graduada em Enfermagem Pela Universidade Católica Dom Bosco (MS), atuando principalmente nos seguintes temas: educação em enfermagem, história da enfermagem, metodologia da pesquisa, ética em enfermagem. Membro do Grupo de pesquisa "Grupo de Estudos D. Isabel Macintyre" GEDIM ( dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/9789973976876470 ) da Universidade Federal de Alagoas.

Regina Maria dos Santos, Universidade Federal de Alagoas

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Docente permanente do PPGENF-Mestrado e da graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Alagoas; líder do GEDIM/UFAL/CNPq; Pesquisadora do PROCUIDADO/UFAL/CNPq. Diretora do CEPEn/ABEn Alagoas.

Laís de Miranda Crispim Costa, Universidade Federal de Alagoas

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora Assistente da Escola de Enfermagem e Farmácia da Universidade Federal de Alagoas. Membro do GEDIM. Diretora do CEPEN/ABEn-AL gestão 2016-2019.

Amanda Cavalcante de Macêdo, Centro Universitário CESMAC

Enfermeira. Doutoranda do PPGLL da Universidade Federal de Alagoas. Diretora do Centro de Assuntos Profissionais ABEn – AL (gestão 2016-2019). Docente do curso de graduação em Enfermagem do Centro Universitário Cesmac. Pesquisadora no Grupo de Estudos D. Isabel Macintyre (GEDIM) e no Grupo de Estudos Discurso e Ontologia Marxiana (GEDOM), ligados a Universidade Federal de Alagoas.

Rafaela Lira Mendes Costa, Universidade Federal de Alagoas - Campus Arapiraca

Enfermeira. Especialista em Enfermagem Obstétrica pela Universidade Federal de Alagoas. Especialista em Saúde Pública pela Universidade Federal de Alagoas.

Como Citar

1.
Santos Baptista MK, dos Santos RM, de Miranda Crispim Costa L, Cavalcante de Macêdo A, Lira Mendes Costa R. O poder na relação enfermeiro-paciente: revisão integrativa. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 19º de dezembro de 2018 [citado 19º de junho de 2024];26(4). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/1529