Planejamento e divulgação da pesquisa com animais como parâmetro de integridade

Autores

Resumo

A integridade na pesquisa com animais, atrelada à responsabilidade científica e social, demanda rigor na elaboração e execução de protocolos, no comprometimento com o bem-estar do animal e divulgação de dados idôneos. A partir do questionamento da vulnerabilidade do pesquisador para cumprir essa demanda, analisaram-se protocolos de submissão de projetos para Comissões de Ética no Uso de Animais, políticas editoriais e divulgações de método como instrumentos para garantir a integridade da pesquisa. Os resultados subsidiaram o planejamento e a divulgação da pesquisa como parâmetro de integridade e adesão ao princípio de redução, substituição e refinamento. Atestou-se a eficiência do instrumento administrativo e legal como meio de refletir sobre a concepção técnica, ética, social e jurídica para se obter dados consistentes e confiáveis, além de fortalecer a confiança entre ciência e sociedade. Essa reflexão deve ser apoiada pelo papel educativo da bioética, desempenhado pelas comissões para mitigar as vulnerabilidades do pesquisador.

 

Palavras-chave:

Bem-estar do animal. Comitês de cuidado animal. Experimentação animal. Revisão de integridade científica.

Biografia do Autor

Marta Luciane Fischer, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

<p>Formação em Ciências Biológicas e Educação Artística</p><p>Mestrado e Doutorado em Zoologia</p><p>Pós-doutorado em Comunicação Química</p><p>Docente dos cursos de Ciências Biológicas e Psicologia da PUCPR e do Mestrado em Bioética</p><p>Coordenadora da CEUA-PUCPR</p><p>Editora Chefe da Revista Estudos de Biologia: Ambiente e Sociedade</p><p>Lider Grupo Bioética Ambiental</p><p> </p>

Gabriela Santos Rodrigues, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Bióloga PUCRS 

Mestre Programa de Pós-Graduação em Bioética PUCPR

Como Citar

1.
Fischer ML, Rodrigues GS. Planejamento e divulgação da pesquisa com animais como parâmetro de integridade. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 19º de dezembro de 2018 [citado 19º de junho de 2024];26(4). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/1513