Influência de uma comissão de ética na proteção de animais

Autores

  • Josué Lopes Correa Neto Universidade de Brasília, Cátedra Unesco de Bioética
  • Claudio Lorenzo Professor Adjunto no Departamento de Saúde Coletiva, Professor dos Programas de Pós-Graduação em Bioética e em Saúde Coletiva, Universidade de Brasília. Brasília, DF, Brasil
  • Mauro Sanchez Professor Adjunto no Departamento de Saúde Coletiva

Resumo

O estabelecimento de comissões de ética no uso de animais em ensino e pesquisa concretiza nova ética nas relações com animais não humanos. Realizou-se estudo estatístico sobre dados de 390 protocolos de pesquisa avaliados durante oito anos por uma comissão em uma universidade brasileira, buscando determinar se essa atuação foi capaz de reduzir o sofrimento e diminuiu proporcionalmente a prática de eutanásia. Empregou-se extensão do teste de Wilcoxon para verificar a tendência de procedimentos de proteção como melhor previsão de estresse e dor nos protocolos, uso mais frequente de anestesia e sedativos e redução de eutanásias executadas. Os resultados mostraram significância estatística em todos os três itens, sugerindo efeito concreto na proteção animal. O método utilizado é proposto ainda como forma de avaliar o uso desses procedimentos pelas comissões.

Palavras-chave:

Revisão ética. Bioética. Experimentação animal. Eutanásia animal.

Biografia do Autor

Mauro Sanchez, Professor Adjunto no Departamento de Saúde Coletiva

Professor do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Universidade de Brasília. Brasília, DF, Brasil.

Como Citar

1.
Correa Neto JL, Lorenzo C, Sanchez M. Influência de uma comissão de ética na proteção de animais. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 5º de dezembro de 2017 [citado 21º de fevereiro de 2024];25(3). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/1268