Relação médico-paciente na oncologia: estudo a partir da perspectiva do paciente

Autores

  • Luiz Otávio Araujo Bastos PAIC-FAPEAM-FCECON
  • Elizabeth Nogueira de Andrade Universidade Federal do Amazonas
  • Edson Oliveira Andrade Universidade Federal do Amazonas

Resumo

As peculiaridades do diagnóstico de câncer impõem ao médico abordagem diferenciada, tornando necessário o estudo dos aspectos psicossociais do doente e de técnicas comunicacionais, de modo a não gerar iatrogenias.
O objetivo do trabalho foi estudar a relação médico-paciente com câncer em um centro de referência em oncologia do serviço público. Trata-se de estudo exploratório qualitativo e descritivo, envolvendo 17 pacientes
diagnosticados com câncer na Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas. Os entrevistados demonstraram diversos sentimentos: desejaram mais sinceridade e clareza dos médicos no diagnóstico;
questionaram a dificuldade do acesso ao sistema de saúde; queixaram-se dos efeitos do tratamento e das limitações emocionais e físicas vivenciadas; e, por fim, destacaram a importância da relação médico-paciente. Portanto, foram reconhecidos aspectos importantes do diagnóstico e tratamento de câncer, devidamente contextualizados, de modo a se repensar a prática médica e a relação médico-paciente.

Palavras-chave:

Relações médico-paciente. Neoplasias. Oncologia.

Biografia do Autor

Luiz Otávio Araujo Bastos, PAIC-FAPEAM-FCECON

Médico residente em Saúde da Família

Elizabeth Nogueira de Andrade, Universidade Federal do Amazonas

Médica Hematologista; Professora Adjunta da Faculdade de Medicina da Universidade Fedrald o Amazonas e Mestre em Ciências da Saúde

Edson Oliveira Andrade, Universidade Federal do Amazonas

Médico; Professor Adjunto da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Amazonas. MSc e PhD em Medicina (Pneumologia)

Como Citar

1.
Bastos LOA, Andrade EN de, Andrade EO. Relação médico-paciente na oncologia: estudo a partir da perspectiva do paciente. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 5º de dezembro de 2017 [citado 29º de fevereiro de 2024];25(3). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/1257