A perspectiva da ética das virtudes para o processo de tomada de decisão médica

Autores

  • Patricia Souza Valle Cardoso Pastura FioCruz http://orcid.org/0000-0001-7198-1481
  • Marcelo Gerardin Poirot Land Universidade Federal do Rio de Janeiro Departamento de Pediatria / pös-graduação em Clínica médica

Resumo

A bioética é vista por muitos médicos como disciplina que deve substanciar decisões e condutas em situações dilemáticas, indicando regras de ação racionais e universais. Nesse cenário, a perspectiva da ética das virtudes propõe substituição da pergunta de “como agir” para “como se constituir”; e, formando o próprio caráter, permitir que a pessoa seja capaz de tomar as decisões da vida, inclusive profissionais, de forma sábia e prudente. Neste ensaio, apresentar-se-á a perspectiva da ética aristotélica, seus autores contemporâneos e as respostas às principais críticas, explicitando vantagens que esse referencial oferece à deliberação médica – suas características valorativa, particularista e teleológica. Mais do que proclamar um paciente autônomo e
um profissional que busca regras externamente estabelecidas, a ética das virtudes reconhece que paciente e profissional estão inseridos em comunidades, tradições e culturas, respeitando valores e virtudes, em busca do fim determinado de suas práticas e vidas.

Palavras-chave:

Bioética. Teoria ética. Virtudes. Ética baseada em princípios.

Biografia do Autor

Patricia Souza Valle Cardoso Pastura, FioCruz

médica pediatra do Instituto Nacional Fernandes Figueira - Fiocruz

doutoranda em clínica médica UFRJ

mestre em medicina - infectologia UFRJ

Marcelo Gerardin Poirot Land, Universidade Federal do Rio de Janeiro Departamento de Pediatria / pös-graduação em Clínica médica

Professor adjunto Departamento de Pediatria UFRJ

Pós-doutorado Fiocruz

Doutorado em Saúde Coletiva - UERJ

 

Como Citar

1.
Pastura PSVC, Land MGP. A perspectiva da ética das virtudes para o processo de tomada de decisão médica. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 20º de julho de 2016 [citado 21º de fevereiro de 2024];24(2). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/1173