A teoria da moralidade comum na obra de Beauchamp e Childress

Autores

  • Letícia Erig Osório de Azambuja Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios.
  • Volnei Garrafa Universidade de Brasília (UnB).

Resumo

A obra “Principles of biomedical ethics”, de Tom L. Beauchamp e James F. Childress, embasadora do principialismo, é o livro mais estudado no campo da bioética, tendo participado decisivamente do processo de consolidação e expansão mundial da disciplina. Seus quatro princípios, contudo, advêm de teorias diferentes: o princípio da autonomia foi retirado da teoria kantiana (Kant); a beneficência, da teoria utilitarista (Mill); a justiça, da teoria da justiça (Rawls); e a não maleficência, da teoria da moralidade comum (Clouser e Gert). A partir da década de 1990, diversas críticas surgiram quanto à homogeneidade epistemológica da proposta. Foram então introduzidas transformações na obra, que são objeto deste estudo, especialmente a teoria da
moralidade comum, incorporada como fundamentação do principialismo, da 4ª edição em diante. O objetivo da pesquisa foi estudar a inclusão da referida teoria ao principialismo, analisando criticamente seu conteúdo a partir das quatro últimas edições do livro.

 

Palavras-chave:

Bioética. Princípios morais. Ética médica. Teoria ética.

Como Citar

1.
Azambuja LEO de, Garrafa V. A teoria da moralidade comum na obra de Beauchamp e Childress. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 26º de novembro de 2015 [citado 25º de maio de 2024];23(3). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/1107