A confidencialidade médica na relação com o paciente adolescente: uma visão teórica

Resumo

O presente artigo enfoca a confidencialidade médica (comunicação sigilosa) na relação com o paciente adolescente, como parâmetro que permeia a relação médico-paciente. A confidencialidade médica faz parte dos valores éticos e das determinações legais que devem ser seguidas pelos profissionais da área da saúde. É dever inerente ao desempenho da profissão médica. Este estudo foi produzido mediante pesquisa bibliográfica, com coleta de dados em bases eletrônicas, com o objetivo de conhecer e refletir sobre o que vem sendo publicado na literatura científica a respeito da confidencialidade médica na relação com o paciente adolescente. Cuidar de adolescentes é um desafio para os profissionais de saúde, dada a especificidade que envolve essa etapa do desenvolvimento humano. Portanto, é necessário reconhecer que não há normas únicas para resolver as diversas situações apresentadas, mas, para tal, é preciso pautar-se em princípios hierárquicos, tentando conciliar as melhores soluções.

Palavras-chave:

Adolescente. Comunicação sigilosa. Privacidade. Relações médico-paciente.

Como Citar

1.
A confidencialidade médica na relação com o paciente adolescente: uma visão teórica. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 5º de setembro de 2012 [citado 25º de fevereiro de 2024];20(2). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/625