Compreensão da morte no olhar de crianças hospitalizadas

Autores

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar como crianças hospitalizadas compreendem o conceito de morte, além de suscitar reflexões sobre o tema do óbito na infância. Realizaram-se entrevistas semiestruturadas com crianças de 7 a 12 anos, utilizando-se a contação de história como recurso lúdico para coleta de dados. Os principais resultados apontaram que as crianças estruturam o conceito da morte de forma multidimensional, englobando fatores biológicos, espirituais, socioculturais e emocionais. Inseridas no contexto de hospitalização, elas se aproximam da temática da morte, sensibilizando-se.
Assim, demonstram a necessidade de escuta e acolhimento dos sentimentos que emergem quando enfrentam a perda de ente querido ou até mesmo a possibilidade do fim da própria vida.

Palavras-chave:

Morte. Pediatria. Luto. Hospitalização.

Biografia do Autor

Vanilla Oliveira Alencar, Hospital infantil Albert sabin

Psicóloga Especialista em Pediatria na modalidade de Residência Multiprofissional pela Escola de Saúde Pública do Ceará.

Referências

Lima MGS. Atendimento psicológico da criança no ambiente hospitalar. In: Fregonese, AA. A prática da Psicologia Hospitalar na Santa Casa de São Paulo: novas páginas em uma antiga história. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006. p. 81-88.

Ragazzo DR. A Vivência do Adoecimento e a Compreensão da Morte na Infância. 41f. Monografia, Programa de Aprimoramento Profissional em Psicologia Hospitalar, Hospital do Servidor Público Estadual – Francisco Morado de Oliveira (HSPE – IAMSPE), São Paulo, 2013.

Kovács MJ. Morte e Desenvolvimento Humano. 5.ed. São Paulo: Casa do Psicólogo,2008.

Bassols MAS, Zanvaschi ML, Palmas RB. A criança frente à doença e à morte: aspectos psiquiátricos. Revista Brasileira de Psicoterapia. 2013; 15(1):12-25.

Paiva LE. A arte de falar da morte para crianças. São Paulo: Ideias e Letras,2014.

Turato, ER. Métodos qualitativos e quantitativos na área da saúde: definições, diferenças e seus objetos de pesquisa. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 39, n. 3, p. 507-514, June 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-89102005000300025

Carvalho R, Vilarinho T. A grande roda. Curitiba: Editora Matrescência; 2020.

Conrad JM, Schwertner SF. Contando histórias sobre a morte: uma análise dos livros do PNBE para crianças. Nuances [Internet]. 2018. [acesso 03 março 2021]; 29(3): 148-164. DOI: https://doi.org/10.32930/nuances.v29i3.5202.

Pêcheux M. O Discurso: estrutura ou acontecimento. 3a ed. Campinas (SP): Pontes; 2002.

Caregnato RCA, Mutti R. Pesquisa qualitativa: análise de discurso versus análise de conteúdo. Texto contexto - enferm. [Internet]. 2006 Dec [cited 2021 March 27] ; 15( 4 ): 679-684. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-07072006000400017.

Oliveira VA, Nascimento IRC, Lopes FG, Lima MJV. A morte na infância: compreensões sobre a morte e o morrer no ambiente hospitalar. In: Lopes FG, editora. Residências multiprofissionais hospitalares: revisitando resultados de um processo de construção [Internet]. Fortaleza: EdUECE, 2021 [acesso em 23 março 2021]. p.239-261.

Torres WC, Guedes WG, Torres RC. A Psicologia e a Morte. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas; 1983.

Torres, WC. O conceito de morte na criança. Arquivos Brasileiros de Psicologia. Repositório FGV. [Internet]. 1979 [acesso em 23 março 2021].31(4), 9-34. Disponível: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/abp/article/view/18239

Salvagini A, Savegnano SDO, Gonçalves J, Quintana AB, Beck CLC. Reflexões acerca da abordagem da morte com crianças. Portal Metodista [Internet]. 2013 [acesso 23 março 2021];21(2):48-55. DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1019/mud.v21n2p48-55

Garanito MP, Cury MRG. A espiritualidade na prática pediátrica. Rev. Bioét. [Internet]. 2016 Apr [cited 2021 Mar 23] ;24(1):49-53. DOI: https://doi.org/10.1590/1983-80422016241105

Henriques ACV. Sobre a morte e o morrer: concepções e paralelismos entre o Catolicismo Romano e o Budismo Tibetano [dissertação] [Internet]. Paraíba: UFPb, 2014 [acesso 23 março 2021]. Disponível:https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/4243?locale=pt_BR.

Mello AR, Baseggio DB. Infância e Morte: Um Estudo Acerca da Percepção das Crianças sobre o Fim da Vida. Psicologia da IMED [Internet]. 2013. [acesso 28 março 2021]; 5(1):23-31. DOI: https://doi.org/10.18256/2175-5027/psico-imed.v5n1p23-31.

Fukumitsu KO. Vida, morte e luto: Atualidades brasileiras. 1ªed. Rio de Janeiro: Summus; 2018.

Hennezel M, Leloup JY. A arte de morrer.11ªed. Petrópolis: Vozes; 2012.

Kubler Ross E. Sobre a morte e o morrer.10ª ed. São Paulo: WMF; 2020.

Franco MHP, Mazorra L. Criança e luto: vivências fantasmáticas diante da morte do genitor. Estudos de Psicologia [Internet]. 2007 [acesso 20 março 2021].24(4):503-511. DOI: https://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2007000400009

Como Citar

1.
Alencar VO, Cardoso do Nascimento IR, dos Santos IB, Pinheiro Almeida LM. Compreensão da morte no olhar de crianças hospitalizadas. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 5º de abril de 2022 [citado 4º de dezembro de 2023];30(1). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/2985