Euthanasia

Júlio Cézar Meirelles Gomes

Resumo


O autor, à guisa de ilustração do simpósio sobre eutanásia e a fim de amenizar as reflexões sobre um tema considerado árido, oferece comentários sobre uma preciosa publicação dos anos 30, a saber: um ensaio médico-social assinado por Januario Cicco, autor, provavelmente médico, que discute pela primeira vez no país um tema considerado maldito e até insolente para a época. O mesmo desfila com muita habilidade argumentos favoráveis e contrários, apresentados na engenhosa forma de um romance que se desenrola através da técnica do diálogo, a exemplo da obra reflexiva de Platão. O livro põe em evidência histórias sobre a saga dos moribundos, cenas ocorridas há mais de meio século no tenebroso cenário das Santas Casas de Misericórdia, naquele tempo verdadeiros depósitos de infelizes. Januario Cicco se inclina, ao fim da obra, pela aceitação da eutanásia como forma piedosa de abreviar sofrimentos insuportáveis em pacientes terminais, quando o médico baseado em rígidos critérios deve atuar como a extensão terrestre da misericórdia divina, esta a sua tese final.

Palavras-chave


Eutanásia; paciente terminais; morte piedosa

Texto completo:

PDF


CC-BY. Creative Commons Attribution 4.0 International.