Comunicação de más notícias: autopercepção de estudantes de medicina

Autores

Resumo

Este estudo analisou a autopercepção de estudantes de uma faculdade de medicina em relação a sua aptidão para comunicar más notícias e identificar fatores associados. Mediante questionário autoaplicável, 44,1% do total de 214 participantes se consideraram aptos para a abordagem. Foram associados à maior autopercepção de aptidão para a comunicação de más notícias: mais tempo de curso (p<0,001); achar que a graduação ofereceu os recursos necessários à aquisição da habilidade de comunicar más notícias (p<0,001); conhecer algum protocolo validado (p=0,015); e ter tido necessidade de comunicar má notícia na graduação (p<0,001). Concluiu-se que a maioria dos estudantes não se sentia apta a comunicar más notícias. Conhecer um protocolo e ter tido necessidade de comunicar más notícias na graduação foram importantes para a aptidão. Sugere-se que o tema seja abordado de
forma diferente, com mais atividades práticas.

Palavras-chave:

Comunicação em saúde. Relações médico-paciente. Educação superior.

Biografia do Autor

Esther Angelica Luiz Ferreira, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Professora Adjunta do Departamento de Medicina (DMed)

Fernanda Dermando Brida, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Graduanda de Medicina do Departamento de Medicina (DMed)

Emilio Martins Curcelli, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Graduando de Medicina do Departamento de Medicina (DMed)

Cristina Ortiz Sobrinho Valete, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Professora Associada do Departamento de Medicina (DMed)

Como Citar

1.
Ferreira EAL, Brida FD, Curcelli EM, Valete COS. Comunicação de más notícias: autopercepção de estudantes de medicina. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 5º de abril de 2022 [citado 29º de fevereiro de 2024];30(1). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/2702