Ética e reprodução assistida: a medicalização do desejo de filhos

Marilena C. D. V. Corrêa

Resumo


Este artigo discute aspectos contraditórios no uso das técnicas de reprodução assistida. São comentados princípios como a idéia de autonomia das decisões reprodutivas, à primeira vista bem estabelecidos na área da reprodução mas que suscitam dificuldades quando confrontados com o problema da elegibilidade e o desejo de filhos no contexto da reprodução assistida. Indica, a seguir, a permanência de efeitos controversos como a produção de embriões excedentes e os desafios que esse tipo de problema coloca para a Bioética.

Palavras-chave


Reprodução assistida; Bioética; medicalização; desejo de filhos

Texto completo:

PDF