Diretivas antecipadas de vontade na assistência hospitalar: perspectiva de enfermeiros

Autores

  • Silvana Bastos Cogo Universidade Federal de Santa Maria
  • Elisabeta Albertina Nietsche Universidade Federal de Santa Maria
  • Márcio Rossato Badke Universidade Federal de Santa Maria
  • Graciela Dutra Sehnem Universidade Federal de Santa Maria
  • Cleton Salbego Universidade Federal de Santa Maria
  • Tierle Kosloski Ramos Universidade Federal de Santa Maria
  • Andrei Pompeu Antunes Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) http://orcid.org/0000-0003-1659-5670
  • Aline Gomes Ilha Universidade Federal de Santa Maria
  • Luiza Carolina Santos Malheiros Universidade Federal de Santa Maria

Resumo

O objetivo deste estudo é compreender como enfermeiros assistenciais de hospital universitário atuariam em casos de pacientes em fase final de vida providos de diretivas antecipadas de vontade. Trata-se de estudo qualitativo, descritivo e exploratório realizado com 20 enfermeiros de um hospital universitário e público do Sul do Brasil. Os dados foram coletados de novembro de 2017 a janeiro de 2018, por meio de entrevistas individuais semiestruturadas, e submetidos a análise textual discursiva, a partir da qual foram elencadas três categorias: aceitação da morte no contexto hospitalar como pressuposto para cumprir as diretivas; autonomia do paciente, respeitando limites; e diretiva antecipada de vontade, do (des)conhecimento à possibilidade de respaldo profissional. Concluiu-se que os enfermeiros consideram que as diretivas antecipadas de vontade facilitam o respeito à autonomia do paciente, além de oferecerem respaldo ao profissional.

Palavras-chave:

Enfermeiras e enfermeiros. Diretivas antecipadas. Assistência hospitalar. Ética em enfermagem. Autonomia pessoal.

Biografia do Autor

Silvana Bastos Cogo, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Enfermagem, Universidade Federal de Santa Maria

Elisabeta Albertina Nietsche, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Enfermagem, Universidade Federal de Santa Maria

Márcio Rossato Badke, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Enfermagem, Universidade Federal de Santa Maria

Graciela Dutra Sehnem, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Enfermagem, Universidade Federal de Santa Maria

Cleton Salbego, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Enfermagem, Universidade Federal de Santa Maria

Tierle Kosloski Ramos, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Enfermagem, Universidade Federal de Santa Maria

Andrei Pompeu Antunes, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

Departamento de Enfermagem, Universidade Federal de Santa Maria

Aline Gomes Ilha, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Enfermagem, Universidade Federal de Santa Maria

Luiza Carolina Santos Malheiros, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Enfermagem, Universidade Federal de Santa Maria

Referências

Organização Mundial da Saúde. Relatório Mundial de envelhecimento e saúde. Genebra: Suíça, 2015.

Viana AP, Reis JM. Distanásia: entre o prolongamento da vida e o direito de morrer dignamente. Rev Bras de Direitos e Garantias Fundamentais [Internet]. 2016 [acesso 7 jul 2020];2(2):270-88.

DOI: 10.26668/IndexLawJournals/2526-0111/2016.v2i2.1643

Gomes BMM, Salomão LA, Simões AC, Rebouças BO, Dadalto L, Barbosa MT. Diretivas antecipadas de vontade em geriatria. Rev. bioét. (Impr.). [Internet]. 2018 [acesso 7 jul 2020]; 26(3):429-39. DOI: 10.1590/1983-80422018263263

Mont’Alverne AL, Bringel AKP, Cavalcante SLB, Castro SMV. Variables that influence the medical decision regarding advance directives and their impact on end-of-life care. Einstein (São Paulo) [Internet]. 2020 [acesso 7 jul 2020]. DOI: 10.31744/einstein_journal/2020RW4852

Dadalto L. A judicialização do testamento vital: análise dos autos. Civilistica [Internet]. 2018 [acesso 7 jul 2020]; 7(2):1-16. Disponível: http://civilistica.com/wp-content/uploads/2018/08/Dadalto-civilistica.com-a.7.n.2.2018.pdf

Dadalto L. Living Will´s History: understanding the past and reflecting about the present. Mirabilia Medicinae [Internet]. 2015 [acesso 7 jul 2020]; 20-42.

Disponível: https://www.revistamirabilia.com/sites/default/files/medicinae/pdfs/med2015-01-03.pdf

Alkimim MA, Rampazzo L. Diretivas antecipadas de vontade (testamento vital): implicações éticas e jurídicas diante do princípio da dignidade da pessoa humana. Revista de Bioética e Direitos dos Animais [Internet]. 2016 [acesso 7 jul 2020];2(2):139-58. DOI: 10.26668/IndexLawJournals/2525-9695/2016.v2i2.1380

Conselho Federal de Medicina (CFM). Resolução 1.995, de 9 de agosto de 2012. Dispõe sobre as diretivas antecipadas de vontade dos pacientes. Diário Oficial da União [Internet]. Brasília, 31 de agosto de 2012 [acesso 7 jul 2020]; Seção 1. Disponível: https://www.legisweb.com.br/legislacao/?id=244750

Bermejo R, Ordozgoiti V, Sancho L, Corujo D, Cagide M, Fontanet S. Conocimientos y actitudes de enfermeiras de onco-hematología ante el documento de voluntades anticipadas. Rev Cubana de Enfermería [Internet]. 2016 [acesso 7 jul 2020]; 34(2):1-13.

Disponível: http://revenfermeria.sld.cu/index.php/enf/article/view/1612/353

Nunes MI, Anjos MF. Diretivas antecipadas de vontade: benefícios, obstáculos e limites. Rev. bioét. (Impr.). [Internet]. 2014 [acesso 7 jul 2020]; 22(2):241-51. DOI: 10.1590/1983-80422014222005

Trarieux-Signol S, Bordessoule D, Ceccaldi J, Malak S, Polomeni A, Fargeas JB et al. Advance directives from haematology departments: the patient’s freedom of choice and communication with families. A qualitative analysis of 35 written documents. BMC Palliat Care [Internet]. 2018 [acesso 7 jul 2020]; 17: 10.

DOI: 10.1186/s12904-017-0265-1

Cogo SB, Lunardi VL. Anticipated directives and living will for terminal patients: an integrative review. Rev. Bras. Enferm [Internet]. 2015 [acesso 7 jul 2020]; 68 (3):464-74. DOI: 10.1590/0034-7167.2015680321i

Cassol PB, Quintana AM, Velho MTAC. Diretiva antecipada de vontade: percepção de uma equipe de enfermagem da hemato-oncologia. J Nurs Health [Internet]. 2015 [acesso 7 jul 2020];5(1):4-13. DOI:10.15210/jonah.v5i1.5497

Conselho Federal de Enfermagem (Cofen). Resolução nº 564, de 6 de novembro de 2017. Aprova o novo Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem. Diário Oficial da União [Internet]. Brasília, 6 de dez de 2017 [acesso 7 jul 2020]; Seção 1. Disponível: http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofen-no-5642017_59145.html

Saioron I, Ramos FRS, Amadigi FR, Diaz OS. Diretivas antecipadas de vontade: desafios legais e educacionais na visão de enfermeiros. Rev eletrônica de enferm [Internet]. 2017 [acesso 7 jul 2020];19:1-8.

Disponível: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-912737

Hospitais Universitários Federais (EBSERH). Hospital Universitário de Santa Maria. Escala dos funcionários de enfermagem [Internet]. [acesso 7 jul 2020].

Disponível: http://www.ebserh.gov.br/web/husm-ufsm/informacoes/escalas-de-plantao

Moraes R, Galiazzi MC. Análise textual discursiva. Ijuí: Ed. Unijuí; 2013.

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União [Internet]. 13 de junho de 2013 [acesso 7 jul 2020]; Seção 1. Disponível: http://www.conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf

Rocha DD, Nascimento EC, Raimundo LP, Damasceno AMB, Bondim HFFB. Sentimentos vivenciados pelos profissionais de enfermagem diante de morte na unidade de terapia intensiva neonatal. Rev Mental [Internet]. 2017 [acesso 7 jul 2020];11(21):546-60. Disponível: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/mental/v11n21/v11n21a15.pdf

Moreira MADM, Costa SFG, Cunha MLDM, Zaccara AAL, Negro-Dellacqua M, Dutra F. Testamento vital na prática médica: compreensão dos profissionais. Rev bióet [Internet]. 2017 [acesso 7 jul 2020];25(1):168-78.

DOI: 10.1590/1983-80422017251178

Peicius E, Aurelija B, Raimondas K. Are advance directives helpful for good end of life decision making: a cross sectional survey of health professionals. BMC Med Ethics [Internet]. 2017 [acesso 7 jul 2020]; 18(1): 40.

DOI: 10.1186/s12910-017-0197-6

Cogo SB, Lunardi VL, Quintana AM, Girardon-Perlini NMO, Silveira RS. Desafios da implementação das diretivas antecipadas de vontade à prática hospitalar. Rev Bras Enferm [Internet]. 2016 [acesso 7 jul 2020];69(6):1031-8.

DOI: 10.1590/0034-7167-2016-0085

Salum MEG, Kahl C, Cunha KS, Koerich C, Santos TO, Erdmann AL. Processo de morte e morrer: desafio no cuidado de enfermagem ao paciente e família. Rev Rene [Internet]. 2017 [acesso 7 jul 2020];18(4):528-35.

Disponível: http://periodicos.ufc.br/rene/article/viewFile/20280/30814

George TP, DeCristofaro C, Murphy PF, Remle CR. Knowledge, attitudes, and experience with advance directives among prelicensure nursing students. Journal of Nursing Education [Internet]. 2018 [acesso 7 jul 2020]; 57(1):35-9.

DOI: 10.3928/01484834-20180102-07

Como Citar

1.
Cogo SB, Nietsche EA, Badke MR, Sehnem GD, Salbego C, Ramos TK, et al. Diretivas antecipadas de vontade na assistência hospitalar: perspectiva de enfermeiros. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 5º de abril de 2021 [citado 25º de maio de 2024];29(1). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/2436