O sofrimento psíquico do profissional de saúde na perspectiva do cuidado

Lucilda Selli, Tatiane Bagatini, Nelson Rivero

Resumo


No Brasil, como decorrência do movimento da Reforma Sanitária, a assistência em saúde vem se transformando nos últimos anos. A implementação do SUS propõe um modelo de atenção em saúde voltado para a saúde coletiva. O presente estudo objetiva ouvir os profissionais de saúde engajados no Programa Saúde da Família (PSF), para compreender seu possível sofrimento psíquico na perspectiva do cuidado do cuidador. A abordagem metodológica é qualitativa e o estudo possui caráter exploratório descritivo, amostra intencional, compreendendo como instrumento para a coleta de dados o grupo focal, com uma amostra de doze trabalhadores do PSF. Realizou-se a análise de conteúdo temática, segundo Bardin (1995), Minayo (2000) e Gomes (2001). Nos resultados são
trazidas questões acerca do perfil do trabalhador do PSF e as dificuldades e desafios por eles enfrentados. Para que haja o enfrentamento do sofrimento psíquico do trabalhador, detectado no estudo, faz-se preciso construir uma responsabilização coletiva entre trabalhador, gestor e usuário.
Surge a necessidade de repensar a formação acadêmica do profissional e a capacitação por parte dos órgãos responsáveis pelo programa, de modo a possibilitar a produção coletiva da saúde. O trabalhador deve criar estratégias coletivas de defesa no próprio ambiente de trabalho, associadas ao cuidado consigo mesmo, sendo reconhecido como portador da necessidade de cuidados.

Palavras-chave


Profissional da saúde; Sofrimento psíquico; Cuidado

Texto completo:

PDF