Secularismo, pós-modernidade e justiça na assistência à saúde em Engelhardt

Autores

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar conceitos centrais do pensamento de Hugo Tristram Engelhardt Junior. Inicialmente são introduzidos os principais elementos de sua argumentação, com ênfase na maneira como o autor percebe a bioética, considerando o fracasso do projeto filosófico moderno e sua concepção original de “estranhos morais”. Em seguida, o estudo procura interpretar o posicionamento de Engelhardt quanto à moralidade e à justiça na distribuição dos recursos de saúde. Ao final, critica-se a concepção marcadamente ultraliberal do autor, que, ao se colocar no extremo do espectro do liberalismo, nega qualquer dever moral do Estado em prover assistência à saúde. 

 

Palavras-chave:

Bioética. Secularismo. Alocação de recursos. Princípios morais. Consenso.

Biografia do Autor

Artur Mamed Cândido, Universidade de Brasília, Cátedra Unesco de Bioética

Doutorando em Bioética pela Cátedra UNESCO de Bioética da Universidade de Brasília

Como Citar

1.
Cândido AM, Alcântara R, Garrafa V. Secularismo, pós-modernidade e justiça na assistência à saúde em Engelhardt. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 21º de setembro de 2020 [citado 29º de fevereiro de 2024];28(3). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/2115