Ética e subjetividade no trabalho médico

Carlito Lopes Nascimento Sobrinho, Mônica de Andrade Nascimento, Fernando Martins Carvalho

Resumo


Este artigo discute o trabalho médico, apontando sua dimensão social-relacional e sua dimensão científico-tecnológica. Nos últimos cinqüenta anos, mudanças na organização do trabalho médico transformaram o modo de produzir o cuidado médico. Observa-se uma valorização da dimensão científico-tecnológica, como valor ético maior. Os médicos, como indivíduos, vivenciam no seu trabalho um espaço para o julgamento subjetivo, pois o mesmo caracteriza-se como interindividual. A tensão no trabalho médico ocorre entre a objetividade da ciência e a individualidade do caso, sendo que a criatividade orienta a intervenção. Logo, o cuidado médico é uma intervenção sobre cada indivíduo, a cada vez, obrigando à síntese da norma com o particular. É proposta uma reflexão sobre os valores da ação médica, baseada no cuidado, no momento de sua execução. Deve-se revalorizar a dimensão social-relacional e como conseqüência adotar uma preocupação ética como parte integrante da produção e utilização das tecnologias em medicina.

Palavras-chave


ética; subjetividade; trabalho médico

Texto completo:

PDF