A enfermagem e o paciente em morte encefálica na UTI

Autores

  • Carlane Rodrigues Costa Centro Universitário Unirg
  • Luana Pereira da Costa Centro Universitário Unirg
  • Nicoly Aguiar Centro Universitário Unirg

Resumo

Este estudo teve como objetivo identificar o papel da equipe de enfermagem nos cuidados prestados aos pacientes em morte encefálica nas unidades de terapia intensiva, apontando condutas indispensáveis à manutenção do potencial doador, assistência à família e controle de todas as funções vitais até o momento da doação de órgãos. Trata-se de revisão bibliográfica, com objetivo exploratório, incluindo artigos de periódicos eletrônicos e obras literárias. Conclui-se que a equipe intensivista desempenha papel de grande relevância na manutenção das funções vitais do potencial doador, sendo necessário embasamento a respeito de todos os aspectos da morte encefálica, conhecimento científico e ético, pois a viabilidade dos órgãos ou tecidos a serem doados depende diretamente de sua adequada conservação.

Palavras-chave:

Morte encefálica. Transplante-Obtenção de tecidos e órgãos. Doadores vivos-Cuidados de enfermagem. Unidades de terapia intensiva.

Biografia do Autor

Carlane Rodrigues Costa, Centro Universitário Unirg

 

 

Como Citar

1.
Costa CR, da Costa LP, Aguiar N. A enfermagem e o paciente em morte encefálica na UTI. Rev. bioét.(Impr.). [Internet]. 20º de julho de 2016 [citado 14º de abril de 2024];24(2). Disponível em: https://revistabioetica.cfm.org.br/revista_bioetica/article/view/1086