Problemas éticos da reprodução assistida

Jorge Biscaia

Resumo


A fecundação in vitro provoca, inevitavelmente, uma dissociação entre a reprodução e a união sexual. Não nos parece que esta dissociação leve necessariamente a uma reprovação ética. Contudo, pode também conduzir a outras dissociações que irão atingir o casal na sua unidade de pessoa conjugal e no desejo do filho como dom e não como direito. Só a idéia do dom consegue fazer com que o filho passe a ser realmente visto como um ser para uma autonomia. Nesta idéia do filho como um direito reside a origem da maioria daquilo que podemos chamar de obstinações terapêuticas da reprodução assistida. A existência de um embrião nas nossas mãos torna imperioso definir o seu estatuto e dignidade. Este é um dos grandes debates bioéticos do nosso tempo, ainda em curso.

Palavras-chave


reprodução assistida; casal; fecundidade; pessoa conjugal; filho

Texto completo:

PDF