Autonomia do paciente: análise situacional de uma unidade de urgência


Resumo


As unidades de urgência constituem um observatório das condições do sistema de saúde, funcionando como fonte de informação para as ações de vigilância. A relação médico-paciente, calcada em bases humanitárias, éticas e legais, propicia o correto diagnóstico e tratamento. O consentimento informado é uma das condições indispensáveis dessa relação, a expressão prática do respeito à autonomia dos pacientes, bem como discutir as condutas éticas com pacientes submetidos aos procedimentos cirúrgicos de urgência relativa. O presente trabalho resulta de pesquisa qualitativa-descritiva, realizada mediante entrevistas individuais, semiestruturada, com pacientes submetido à colecistectomia tradicional, no período de junho a novembro de 2011. Concluiu-se que a relação médico-paciente no setor de urgências tem como característica o anonimato e que os pacientes se deparam com o desconhecido, em relação ao diagnóstico, médico e hospital, o que algumas vezes lhes provoca temor e dificulta a relação.  


Palavras-chave


Autonomia pessoal. Bioética. Epidemiologia descritiva. Medicina de emergência.

Texto completo:

PDF PDF (English)