Bioética e doação de órgãos no Brasil: aspectos éticos na abordagem à família do potencial doador


Resumo


Este artigo consiste em reflexão teórica que pretende identificar questões éticas que poderiam influenciar nas taxas de consentimento de familiares em relação à doação de órgãos. Identificou-se como principal questão ética a falta de esclarecimentos durante o processo de obtenção do consentimento junto ao familiar, sendo identificadas como deficientes as informações acerca do diagnóstico de morte encefálica, a aparência e a desfiguração do corpo. Também se constatou que outros aspectos éticos podem influenciar neste processo, tais como o respeito ao momento que o familiar vivencia, às suas crenças e valores, bem como o acolhimento e a disponibilidade por parte do entrevistador e a garantia de que o familiar tenha escolhido a alternativa mais adequada para a situação. Portanto, ressalta-se a importância de profissionais de saúde capacitados para a abordagem ao familiar, visando, com isto, maior aceitação e uma assistência pautada na ética.

Palavras-chave


Transplante de órgãos. Bioética. Relações profissional-família.

Texto completo:

PDF PDF (English)