Bioética e humanização na fase final da vida: visão de médicos

Fernando Toledo Oliveira, Daniela Aparecida Flávio, Mariana Orefice Marengo, Ricardo Henrique Alves da Silva

Resumo


Com o objetivo de identificar o posicionamento dos médicos frente à terminalidade da vida realizou-se uma pesquisa por meio de questionário, com questões abertas e fechadas, aplicada a médicos cuja atividade envolvesse pacientes terminais. O estudo foi realizado em duas instituições hospitalares no município de Bauru/SP. Os resultados indicaram que 70% dos médicos participantes informam o diagnóstico verdadeiro para o paciente terminal, mas 80% não esclarecem quanto tempo viverão. A maioria (90%) afirma adotar o suporte emocional com seus pacientes e 70% acreditam que o cuidado paliativo melhora a qualidade de vida dos mesmos; e apenas 50% relatam seguir esses cuidados. Concluímos que o posicionamento dos médicos com relação aos cuidados paliativos é fragmentado, envolvendo algumas dificuldades no que se refere à terminalidade da vida, principalmente com relação aos esclarecimentos e às opções dos pacientes, denotando a necessidade de ampliação nos debates referentes à relação entre bioética e terminalidade da vida.


Palavras-chave


Bioética. Humanização da assistência. Doente terminal. Cuidados paliativos.

Texto completo:

PDF PDF (English)